Tribunal recebe obra do pintor Oscar Araripe

Imprimir

Evento faz parte do projeto Intervalo Cultural, que também apresenta concerto de orquestra

Amanhã, às 11h30, o projeto Intervalo Cultural traz a entrega oficial da tela Tiradentes, o Animoso Alferes, do pintor Oscar Araripe, além da apresentação musical da Orquestra Jovem do Tribunal de Justiça (TJMG). O concerto será realizado após a cerimônia de doação da pintura, às 12 horas.

Tiradentes, o Animoso Alferes (1992) é uma peça acrílica sobre tela sintética de 3x3m, baseada no poema épico Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles. A obra doada ao TJMG é uma versão de um quadro que está na Faculdade Nacional de Direito e já foi exposta nos museus da Inconfidência, em Ouro Preto, e da República, no Rio de Janeiro, entre outros locais.

O ARTISTA - Formado em 1968, pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, o multiartista Oscar Araripe Ferreira (Rio de Janeiro, 1941) desenvolveu trabalhos como escritor, tradutor, crítico de teatro, jornalista e pintor. Entre os temas explorados em sua carreira nas artes plásticas, tem destaque a história e o exuberante cenário natural do Brasil e episódios e figuras da tradição mineira.

Araripe conta que o chamado mártir da Inconfidência Mineira o impressiona desde 1966, quando ele visitou Ouro Preto. Para o pintor, Joaquim José da Silva Xavier, morto aos 45 anos, é uma espécie de anjo tutelar do Estado em que nasceu. "Tiradentes é um símbolo da justiça, e sua imagem, em pleno Tribunal mineiro, absolve com glória uma figura que sofreu perseguição e violência", afirmou.

ATRAÇÕES - Essa é a terceira edição do projeto, reativado em julho deste ano. O Intervalo Cultural promove a fruição artística no ambiente profissional e a integração dos públicos que frequentam o edifício sede, com atrações de música, dança, teatro e outras manifestações culturais.

A Orquestra Jovem e o Coral Infantojuvenil inauguraram a iniciativa, seguidos do violonista Tiago Weinckler, em agosto. O Intervalo Cultural é uma das atividades do Espaço Sociocultural Desembargador Lincoln Rocha, regulamentado pela Portaria 2.162/2008.

O repertório da orquestra inclui composições eruditas de Gioacchino Rossini (William Tell Ouverture), Frank Rodgers (Rondo a La Mozart), Isaac Merle (Apollo Suite - valsa) e, do alemão naturalizado brasileiro Ernst Mahle, duas peças para músicos solistas. Igor Aguillar assume o concertino para contrabaixo sobre o tema da canção Atirei um Pau no Gato, e Guilherme Gonçalves toca o concertino rondó para violoncelo baseado em O meu Boi Morreu.

A segunda parte se dedica a temas populares, do pop rock das bandas Green Day e Coldplay e do cantor Michael Jackson a temas de trilhas sonoras de sucessos como Star Wars e Piratas do Caribe, em arranjos inéditos da maestrina Luciene Villani. Fecham o programa, Hallelujah, do compositor canadense Leonard Cohen, e dois clássicos brasileiros: Canção da América, de Milton Nascimento, e Asa Branca, de Luiz Gonzaga.

ORQUESTRA - A Orquestra Jovem surgiu em 2011, no âmbito da Coordenadoria da Infância e da Juventude (Coinj) do TJMG. O projeto atende hoje a 280 jovens e é marcado por uma trajetória de sucesso, com participação em vários eventos. Os beneficiários são adolescentes que se encontram em situação de vulnerabilidade social ou vivem em instituições de acolhimento. Eles recebem cursos de iniciação musical, canto coral, violino, violoncelo, viola, e contrabaixo acústico, entre outros instrumentos. Além disso, têm aulas de inglês.

Share on Facebook